IEA Brasil - O Eneagrama a serviço da transformação
Esqueci minha senha

Artigos

Ver Todas

Eneagrama, psicanálise e a psicologia: uma ligação intrigante.

 

Eneagrama, psicanálise e a psicologia: uma ligação intrigante

 

Marilena Augusta Rodrigues Borges Bigoto é graduada em Psicologia, especialista em Psicologia Clínica e mestre em Filosofia e Consultora Organizacional. Abordagem Junguiana. Sócia fundadora do ESEDES – Espaço Elaborado para o Desenvolvimento da Essência do Ser.

Alexandre T. Montandon é autor do livro “A Chave do Universo”. Formado em Coach e Master-Practitioner e fundador da Qualidade em Quadrinhos Editora.

 

O Eneagrama das Personalidades vem se configurando, nas últimas décadas, como uma ferramenta muito importante no campo da psicologia. Obviamente, seja pela falta de conhecimento sobre essa ferramenta ou pelo preconceito ao tema, muitos profissionais da área ainda não compreendem os benefícios do seu uso ou olham com desconfiança, em função do Conselho ainda ser muito restritivo com ferramentas utilizadas no campo da Psicologia. Se, por um lado, existe razão nisso, pois se faz necessário critérios de avaliação de qualquer nova ferramenta ou método de trabalho, por outro lado muitos profissionais ficam fechados a esse aprendizado ou acabam rotulando essas novas técnicas como sendo místicas ou espirituais.

Compreensivo, pois o próprio Carl G. Jung era considerado místico e pouco didático na época que apresentou suas ideias.

O enfoque do eneagrama como um sistema que define perfis de personalidade não foge dessa busca constante de entendermos o ser humano e suas diferenças, como fez Jung com sua teoria de tipos psicológicos, que hoje serve de base para um importante teste utilizado como avaliação psicológica e de personalidade, o MBTI, ou como fez Reich, que elaborou a teoria das estruturas de caráter, ou o próprio Freud, ao diferenciar as neuroses e, principalmente, ao perceber como o ser humano, logo cedo, ainda no processo de desenvolvimento do ego, passa a adotar mecanismos de defesa.

O eneagrama é um símbolo universal, que data sua origem muito antes de Cristo. A palavra deriva do grego (ennea = nove, grammos = figura) e faz alusão aos nove pontos identificados ao longo da sua circunferência externa. O eneagrama surgiu pela primeira vez no Ocidente na obra do armênio George Ivanovitch Gurdjieff, no início do século 20. Ele usava o símbolo como modelo matemático para compreender o funcionamento do universo e afirmava que todos os conhecimentos da humanidade poderiam ser inclusos e interpretados através dos seus movimentos e leis. A personalidade é apenas um desses conhecimentos. Foi só recentemente, a partir da década de 1970, com o psicólogo boliviano Oscar Ichazo e o psiquiatra chileno Claudio Naranjo, um de seus seguidores no pequeno grupo de Arica, Chile, que nasceu o Eneagrama das Personalidades, sobre o qual falaremos. Naranjo fundou um grupo chamado SAT, que significa “verdade” em sânscrito e representa a sigla de SeeKers After Truth (Buscadores da Verdade). Desse grupo, nasceram os principais nomes que ajudaram a desenvolver e divulgar esse conhecimento pelo mundo. Hoje, o Eneagrama das Personalidades continua crescendo em diversas áreas, em vários países.

Novas abordagens
Um dos grandes méritos de Claudio Naranjo, na época professor da Universidade de Stanford – USA, foi o de integrar diversas abordagens parciais, todas conhecidas da psicologia, estabelecendo novas conexões psicodinâmicas através dos 3 movimentos simbólicos do eneagrama. A partir dessas novas conexões, ele descreveu 9 diferentes estruturas do caráter humano, todas interrelacionadas entre si, formando um mapa dinâmico para lidar com as profundezas da mente humana e apontar diferentes caminhos de evolução pessoal.

Em seu livro “Os Nove Tipos de Personalidade – Um Estudo do Caráter Humano Através do Eneagrama”, Naranjo escreveu: “A partir de uma convicção pessoal a respeito da importância do domínio cognitivo, prestei atenção especial ao assunto dos mecanismos de defesa, que podem ser considerados interdependentes com relação aos diferentes estilos interpessoais, bem como à busca de uma formulação cognitiva da própria estratégia interpessoal. Afirmo também que cada caráter acarreta uma “ilusão metafísica” particular: uma suposição errada com relação ao Ser – ou, mais precisamente, com relação à possibilidade ou promessa do Ser”.

Naranjo traça o mapa de cada eneatipo a partir da essência dinâmica das neuroses, descritas em suas paixões e fixações.

 


Por meio desse mapa, é possível perceber que cada paixão ou fixação pode ser compreendida e fundamentada na anterior. Por exemplo, “no caso da expressão do orgulho (ponto 2), ele constitui uma tentativa de compensar uma insegurança com relação ao seu valor pessoal: as pessoas orgulhosas, enquanto grupo, têm em comum uma repressão e compensação excessiva pela sensação de inferioridade e carência dominantes na inveja. Já no caso da inveja (ponto 4), podemos falar da raiva que se voltou para dentro num ato de autodestruição psicológica. No caso do caráter irado e disciplinador (ponto 1), podemos perceber uma tentativa de defesa da atitude oral-receptiva, deteriorada ou autocondescendente da gula”. E assim por diante.

A descrição aprofundada de cada traço de personalidade começa a ganhar seu aspecto dinâmico a medida que começa a interagir com a influência que os demais traços exercem. Cada movimento traz um ensinamento distinto sobre a personalidade, indicando padrões de defesa e de evolução. E o mais surpreendente é que a compreensão desses movimentos está conectada aos movimentos dos pontos seguintes, construindo uma interrelação entre todos os tipos de caráter.

O modo como aplicamos as informações que o eneagrama nos dá sobre a nossa personalidade depende da metodologia de cada profissional. É importante ressaltar que o objetivo do estudo do eneagrama não é rotular as pessoas em tipos psicológicos, nem tampouco usar esse conhecimento para justificar seus erros ou julgar o comportamento das pessoas, mas sim oferecer a oportunidade de autoconhecimento através da investigação e da auto-observação. Através desse mapa, além de compreender as estratégias inconscientes dos seres humanos, é possível identificar um caminho de crescimento através das interações deste sistema. No livro de Sandra Maitre, “A Dimensão Espiritual do Eneagrama”, ela resume sua metodologia de trabalho com o eneagrama assim: “Presença e investigação são os fundamentos desse método. Para aprender plenamente, é preciso estar presente dentro do corpo, dos pensamentos e das emoções. Uma investigação puramente mental não gera intuições capazes de iluminar e revelar as operações internas do nosso ser”.

Outros instrumentos
O eneagrama não é melhor que nenhum outro instrumento de avaliação psicológica, mas sua linguagem é mais simples e toca mais as pessoas, pois é como se falasse com ambas as polaridades, personalidade e essência. Dessa forma, ele cumpre um importante papel de ajudar as pessoas a se autoconhecerem num exercício diário, sem depender tanto dos outros, apenas com a presença e autopercepção. Ele promove consciência e faz com que cada um assuma o que verdadeiramente é, despido de suas máscaras, sem precisar projetar isso nos outros, e entender que cada um deve assumir a responsabilidade pela sua vida e pelo que acontece nela, ao invés de ficar procurando culpados para seus infortúnios e frustrações.

No campo da psicologia, um dos grandes ganhos que percebemos com a utilização do eneagrama é a possibilidade de investigar e compreender, por meio desse conhecimento, importantes padrões egóicos do paciente, de forma profunda e dinâmica. É impressionante ver, em nossos cursos, a resposta das pessoas a esse estímulo. Pessoas que nunca se viram, quando convidadas a dar seu depoimento descrevendo na prática suas estratégias de comportamento, crenças e verdades, surpreendem-se em ver que outras pessoas compartilham do seu mesmo padrão de comportamento. E isso, de forma comprovada, é aplicável em qualquer parte do mundo, independente da raça, sexo, cultura ou condição social, com os mesmos resultados. Nos Congressos Brasileiros já realizados, foram apresentados, por exemplo, trabalhos em aldeias indígenas, penitenciárias, comunidades religiosas, empresas, escolas, e em qualquer desses grupos os 9 traços de personalidade estão sempre presentes de forma clara e indiscutível.

Fórmula pronta
Para o leitor que se interessar pelo tema e quiser conhecer na prática o potencial dessa ferramenta, é importante saber que um bom curso de eneagrama não vende verdades, nem fórmulas prontas, pois cada indivíduo é único em sua essência, e cada pessoa tem sua dinâmica e seus desafios. O bom treinamento é aquele que faz o grupo interagir com esse conhecimento e, a partir de cada ser humano, formar a sua própria compreensão e construir seus próximos passos e metas. Esse conhecimento é transformador à medida que ele nasce de dentro para fora do ser humano e não ao contrário. Quando isso acontece, é fácil gostar de evoluir.

Outra forma inusitada de tomar contato com o eneagrama é através do livro “A Chave do Universo – As Nove Máscaras e o Eneagrama” (64pgs, colorido), onde o tema é apresentado de forma lúdica por meio de uma história em quadrinhos. Essa foi a forma que encontramos de tornar acessível a complexidade desse conhecimento para o grande público, democratizando suas informações e estimulando as pessoas a se conhecerem melhor. Esse livro é entregue como um presente a todos aqueles que se tornam membros da IEA Brasil.

O eneagrama revela quem somos e quem podemos vir a ser a partir do momento que temos uma chave na mão, a chave que mostra o grande tesouro interno que somos nós. Isso se traduz nas palavras do filósofo George Bernard Shaw: “As pessoas estão sempre culpando suas circunstâncias pelo que elas são. Eu não acredito em circunstâncias. As pessoas que progridem neste mundo são as pessoas que se levantam e procuram pelas circunstâncias que elas querem e, se elas não conseguem encontrá-las, elas as fazem”.


BOX 1
Resumo dos padrões:
Para o leitor que tem contato pela primeira vez com o tema, vamos fazer uma breve descrição de cada traço de personalidade baseado na autoimagem que cada indivíduo busca reforçar em si e para onde direciona a sua atenção inconscientemente. Vale reforçar que esse simples resumo não tem objetivo de diagnóstico, mas serve apenas para ilustrar os nove padrões identificados:

1 – Ética e Perfeição (e ordem)
A atenção dessas pessoas é direcionada para o que está errado ou para o que pode ser corrigido ou melhorado. Tudo que faz precisa ser bem feito, baseado nos seus altos padrões éticos e morais estabelecidos. A responsabilidade ou trabalho vem antes da diversão. Busca ser perfeito, correto e íntegro.

2 – Amor e Ajuda (e orgulho)
A atenção se volta às necessidades do outro. “As pessoas precisam
da minha ajuda”. Sente essa necessidade de ajudar ou agradar. E se orgulha disso. Mas ao focar demasiadamente nas demandas alheias, acaba negligenciando suas próprias necessidades. No fundo, busca sentir-se amado e indispensável.

3 - Desempenho e Sucesso (e aplausos)
Sua atenção está sempre voltada a realizar múltiplas atividades, tarefas, metas e conquistas futuras. Fazer e realizar, sempre, a toda hora, essa é sua filosofia de vida. Ser reconhecido pelos seus feitos e conquistas e manter uma boa imagem, essa é sua busca diária. Busca ter valor e reconhecimento.

4 – Originalidade e Sensibilidade (e melancolia)
A atenção vai para aquilo de importante que “está faltando”. Uma sensação de “doce melancolia”. Idealiza o momento perfeito. Almeja o inalcançável. Valoriza/dramatiza seus sentimentos e emoções mais profundos. Busca sentir-se especial, original e único.

5 – Observação e Sabedoria (e privacidade)
A atenção se volta a observar o mundo à distância, evitando contato com os seus sentimentos, e a armazenar um grande número de conhecimentos e informações possíveis. Mantém-se cerebralmente ocupado, “vivendo na sua mente”. O pensar precede ou até substitui o fazer. Valoriza muito a sua privacidade. Busca sentir-se competente e capaz.

6 – Lealdade e Segurança (e dúvidas)
A atenção vai para aquilo que pode dar errado ou ser perigoso. “O mundo é um lugar ameaçador”. Imagina diversos cenários negativos para estar preparado caso o pior aconteça. Age com cautela, questiona, duvida. “E se...” Sempre atento a ameaças e perigos. Busca ter segurança e apoio.

7 – Otimismo e Prazer (e novidades)
A atenção vai para tudo que traz alegria e é estimulante. “A vida é um palco de prazeres e oportunidades”. Idealiza mil planos e projetos. Foge de rotinas ou qualquer coisa que prive seu prazer ou cause dor. Perde o foco diante de tantos interesses e projetos. Busca ser feliz.

8 – Proteção e Justiça (e controle)
Sua atenção está voltada para o controle, força, poder, justiça e verdade. Gosta de se impor e assumir o controle. “É tudo ou nada, é oito ou oitenta”. Procura depender o mínimo possível de alguém e contar sempre consigo mesmo. Valoriza a independência e autosegurança. Busca ser forte, proteger-se e estar no controle.

9 – Paz e União (e sossego)
A atenção vai para as demandas dos outros e para a busca de harmonia e paz. “Pra que se estressar” ? Evita conflitos, adia suas prioridades. As necessidades dos outros parecem mais claras e urgentes. Esquece de si mesmo. “Deixa a vida me levar, vida leva eu...” Busca estar em paz e em harmonia.

 

BOX 2
Eneagrama e o ambiente corporativo
No mundo corporativo, apenas para dar mais um exemplo, o eneagrama é aplicado principalmente em equipes. Quando as pessoas compreendem que cada indivíduo tem uma estratégia inconsciente que orienta seus comportamentos e verdades, primeiro muitos conflitos, velados ou não, se resolvem automaticamente e dão espaço a um clima maior de respeito.

A ferramenta auxilia, ainda, na melhora imediata na qualidade do diálogo e uma maior aceitação ao outro e às suas diferenças, pois agora é possível compreender conscientemente as intenções que existem por trás das ações, reduzindo automaticamente os mal-entendidos e falhas de comunicação.

Além disso, com uma compreensão maior a respeito de suas próprias motivações e comportamentos, cada indivíduo passa a visualizar com mais clareza seus pontos fortes e fracos dentro daquele contexto de trabalho, tendo um mapa detalhado de como ele poderá crescer profissionalmente.
A medida que o indivíduo se aprofunda nesse conhecimento sobre si mesmo, ele passa a ter maior domínio das emoções e uma visão mais clara de seus objetivos pessoais. Isso traz uma maior capacidade de fazer escolhas assertivas na sua vida.

 

___

Bibliografia:
“Os Nove Tipos de Personalidade – Um Estudo do Caráter Humano através do Eneagrama” – Claudio Naranjo – Editora Objetiva.
“A Dimensão Espiritual do Eneagrama – As Nove Faces da Alma” – Sandra Maitri – Editora Cultrix.
“A Chave do Universo – As Nove Máscaras e o Eneagrama” – Alexandre T Montandon – Editora Qualidade em Quadrinhos/ BooHQ.
“Crescendo com o Eneagrama na Espiritualidade” – Domingos Cunha – Editora Paulus.
“A Sabedoria do Eneagrama” – Don Richard Riso e Russ Hudson – Editora Cultrix.

Deixe aqui seu comentário